Biografia
 

Natural da cidade de Niterói, Estado do Rio de Janeiro, José Raul Teixeira é licenciado em Física, pela Universidade Federal Fluminense, Mestre e Doutor em Educação. Professor aposentado da Universidade Federal Fluminense.

Em 1980, com um grupo de idealistas espíritas, fundou a Sociedade Espírita Fraternidade, localizada em sua cidade..

Dez anos depois, criou o Remanso Fraterno, obra social que atende a crianças e famílias socialmente carentes, apoiando-as no seu soerguimento material e espiritual.

Em 7 de agosto de 2017, Remanso Fraterno recebeu da Revista Época a premiação como uma das cem melhores ONGs do Brasil.

Conferencista dos mais requisitados no Brasil e no Exterior, já levou a  mensagem espírita a  quarenta e cinco países, tendo servido como médium na recepção de quase quatro dezenas de livros, publicados pela Editora Fráter.

Visitou o Paraná, por primeira vez, em 1974, trazendo sua palavra de orientação e lucidez ao Movimento Espírita em Encontros, Seminários, Conferências, durante trinta e sete anos consecutivos.

Após o Acidente Vascular Cerebral, em 2012, sua presença tem se feito em vários momentos em nosso Estado, participando, anualmente, da Conferência Estadual Espírita, no Expotrade, em Pinhais.

Em 28 de outubro de 2020, o Comando Militar do Leste, Comando da 1ª Região Militar e da 1ª Divisão de Exército, com sede no Rio de Janeiro (RJ), o homenageou, pelas suas obras de educação e sociais prestadas ao longo de sua vida.

Pelas mãos do General José Eduardo Pereira, lhe foi entregue a Medalha do Pacificador, no Salão Nobre do Palácio Duque de Caxias. A honraria é conferida a militares e civis a partir de 1955, pelos assinalados serviços que tenham prestado ao Exército Brasileiro e à sociedade.

Em 4.11.2020.

 

Apresentação de Raul Teixeira por Divaldo Pereira Franco

 

Senhoras, senhores, jovens, queridos irmãos no ideal espírita.

Conheci-o, e era uma ave implume que desejava alcançar os alcantis dourados. A sua voz ainda era débil, mas o seu canto era harmônico.

Lentamente acompanhei os seus voos. À semelhança de Ícaro, senti a pujança do astro-rei e fitava-o deslumbrado. Diferente de Ícaro, as suas não eram asas fixadas ao corpo através da cera que o ardente astro-rei poderia derreter. Nasciam do âmago do seu coração e o vi conquistar nuvens, atravessar continentes, levar o seu canto a trinta e sete países e falar de um Astro-Rei muito mais grandioso do que este de quinta grandeza em torno do qual nós nos agitamos no planeta terrestre.

Referia-se a um Astro de Primeira Grandeza, que um dia tomara a enfibratura material e viera também à Terra cantar.

Fascinado por aquela voz desejou imitá-la e tocado pelo verbo inflamado da Sua ternura, desejou também transformar-se em um astro que gravitasse a Sua volta.

Pelas suas mãos, através do sentimento e da mediunidade, o Alto fez que descessem baladas de luz e, vinte e seis obras transformaram-se, nas letras das empresas gráficas, em verdadeiros poemas de eternidade e beleza.

E hoje, com uma plumagem enriquecida de luz, acerca-se cada vez mais do Astro de Primeira Grandeza e canta.

Uma lenda velha da Amazônia narra que o Uirapuru, quando consegue galgar a mais alta parte da floresta e abre o seu bico para cantar, a natureza silencia para ouvi-lo.

Canta Raul, estamos em silêncio para ouvir o teu canto. Estamos ansiosos para escutar as tuas asas acionando a mensagem de amor e a ti, na direção do Astro de Primeira Grandeza e, prometemos-te que viajaremos contigo, para, em torno dEle, todos encontrarmos a imarcescível luz que jamais se apagará. Canta.

Que cante para nós o Professor, Dr. José Raul Teixeira e que façamos silêncio para ouvi-lo.

Apresentação de Raul Teixeira, feita por Divaldo Pereira Franco,
 em 13 de abril de 2002, para a palestra Espiritismo e Vida, na 5ª
Conferência Estadual Espírita - Reflexões de um Século de Vida.

Em 28.2.2022.